Categorias: Notícias

Efervescência e tradição marcam os 60 dias de festejos juninos em Sergipe

Celebração vibrante e enraizada na cultura nordestina é assinalada por muita animação na capital e no interior do estado

Publicação: 21/05/2024

Curtir os festejos juninos em Sergipe é mergulhar na efervescência e na tradição dessa época tão peculiar do Nordeste. Além de reunir a cultura com muito forró e comidas típicas, eles são os mais aconchegantes da região pelo fato de serem realizados à beira-mar. É na Orla da Atalaia, em Aracaju, considerada a mais bonita e bem-equipada do Brasil, que, mais uma vez, vai acontecer o maior São João do estado, onde está sendo feita a montagem do Arraiá do Povo e da cidade cenográfica Vila do Forró. Serão 60 dias de muita festa, nos meses de junho e julho, que vão garantir a diversão de visitantes e turistas.

Festejos juninos em Sergipe: celebração vibrante e enraizada na cultura nordestina

Maior representação cultural do estado, que é conhecido como o ‘País do Forró’, os festejos juninos em Sergipe contam com apresentações de quadrilhas juninas, shows de artistas locais e nacionais, além dos genuínos trios de forró pé de serra. Há, também, a rica gastronomia, com elementos tradicionais dessa época, cuja base é o milho, que resulta em delícias, como canjica, mugunzá, bolos, dentre outros. E não se pode esquecer do jeito acolhedor do povo sergipano. Tudo isso é um diferencial do estado que proporciona aos turistas uma experiência única, repleta de animação, aconchego e tradição, oportunizando conhecer a cultura nordestina de uma maneira autêntica.

Desse modo, os festejos juninos em Sergipe podem ser definidos como uma celebração vibrante e enraizada na cultura nordestina, marcada por muita animação na capital, Aracaju. Este ano, serão mais de 300 atrações artísticas e musicais em diversos eventos promovidos pelo Governo do Estado. Além do Arraiá do Povo com a Vila do Forró, ambiente que agrega cenografia junina, gastronomia típica da época, artesanato, música e tradição, há a ‘Segundona do Turista’, na Rua São João, no Bairro Santo Antônio; ‘Arrastapé do 18’, no Bairro 18 do Forte, na Zona Norte da capital; Arraiá do Arranca Unha, no Centro de Criatividade; e ‘Gonzagada’, no Complexo Cultural Gonzagão.

Cânion de Xingó, em Canindé do São Francisco, um dos pontos turísticos em Sergipe

Um detalhe: como os festejos na Orla da Atalaia terminam cedo, os turistas podem aproveitar para conhecer outros pontos turísticos do estado pelo dia. Há as belas praias do litoral, como a do Refúgio, em Aracaju, ou a do Saco, em Estância, além de lugares já bastante conhecidos, como o Cânion de Xingó, em Canindé do São Francisco, e o Museu de Arte Sacra, em São Cristóvão, entre muitos outros.

Para usufruir ao máximo de Sergipe, o turista pode contar com uma boa variedade de opções de hotéis, pousadas e resorts, tanto na capital quanto no interior, que atendem às necessidades de diferentes públicos. Esses estabelecimentos oferecem uma ampla gama de opções de hospedagem, desde as mais luxuosas à beira-mar até acomodações mais econômicas. Inclusive, é importante ressaltar que, durante o período junino, há uma maior movimentação da cadeia turística, que abrange, além do setor hoteleiro, o de bares e restaurantes.

Nesse contexto, o estado também apresenta um fator muito importante: a segurança. Conforme a Revista Veja, por meio de dados divulgados em abril deste ano pelo Sistema Nacional de Informações em Segurança Pública (Sinesp), referentes a 2023, Sergipe é o estado mais seguro do Nordeste. Isso é resultado do trabalho diário da Polícia Militar para proporcionar mais segurança aos sergipanos e turistas, o que coloca Sergipe como a melhor segurança da região nordestina. Assim, em Sergipe, aconchego e segurança se encontram em cada canto do estado.

 

Festejos no interior

ESTÂNCIA

Barco de fogo: um espetáculo de luzes e cores

No interior do estado, a tradição junina se faz presente. Em Estância, a aproximadamente 70 quilômetros da capital, Aracaju, acontece a apresentação do barco de fogo, Patrimônio Imaterial de Sergipe desde 2013 e símbolo da cidade. Esse fato, inclusive, deu ao município o título de ‘Capital Nacional do Barco de Fogo’. Além da Salva Junina, que acontece no dia 31 de maio, há a bênção da fogueira, hasteamento das bandeiras em homenagem aos três santos juninos – São João, São Pedro e Santo Antônio –, cortejo cultural, em que dezenas de grupos folclóricos percorrem ruas da cidade ao som de batucadas e show pirotécnico de fogueteiros, que fazem apresentação de espadas. Tudo isso acontece na praça principal da cidade. Já no Forródromo Rogério Cardoso, são realizados shows musicais, onde, entre a apresentação de um artista e outro, há a corrida de Barco de Fogo e a soltura de buscapés realizada numa área reservada do evento.

LAGARTO

A 75 quilômetros da capital, Aracaju, no município de Lagarto, Centro-Sul sergipano, o Festival da Mandioca é realizado no final do mês maio com a retirada do mastro. A cidade é popular por realizar a tradicional e centenária ‘Silibrina’, guerra de busca-pés e espadas de fogo que dão as boas-vindas a junho. No decorrer o mês junino, há shows musicais, cavalgada, casamento caipira e concurso de quadrilhas. Essa programação se estende até o início de julho.

CAPELA

Em Capela, no Leste sergipano, acontece o ‘São Pedro mais arretado do Brasil’ com a realização da popular Festa do Mastro, que, em 2024, completará 85 anos. Realizado no final do mês de junho, o evento é considerado uma das mais importantes manifestações culturais de Sergipe. A programação inicia com a busca do mastro e um arrastão com um trio elétrico puxando os brincantes. E, durante três dias no mês de julho, acontecem os festejos com shows musicais em praça pública.

Para saber sobre a programação do Arraiá do Povo, acesse aqui.